segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Audiência Pública: Monitoramento das políticas públicas de primeira infância e os impactos na vida das mulheres negras








Ocorreu nessa última sexta-feira (29), a Audiência Pública, com o tema: Monitoramento das políticas públicas de primeira infância e os impactos na vida das mulheres negras, no Parque São Bartolomeu, que fez parte da programação Julho das Pretas.

Que teve como objetivo refletir sobre os impactos da ausência de equipamentos de creches na vida das mulheres negras e da periferia; ouvir as demandas e necessidades da comunidade em relação às politicas da primeira infância; fazer um levantamento da atual situação das creches em Salvador. 
      
Estiveram presentes os representes das autoridades públicas: Defensoria Pública, Luisa Rocha, Representante do Ministério Público, a psicóloga Luciana França, Presidente da Comissão de Educação, Silvio Humberto e o Presidente do Conselho da Criança e do Adolescente, Hilton Coelho. 

Os representantes do movimento social: Movimento de Mulheres do Subúrbio (Ginga), Edna Pinho, Presidenta do Fórum das Creches Comunitárias, Hamilta Queiroz e a Diretora do Sindicato das Trabalhadoras Domesticas, Milca Martins.

A audiência fez parte da programação Julho das Pretas, que tem como intuito construir uma agenda comum do movimento de mulheres negras para julho, mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher Afro-Latino Americana e Afro-Caribenha, idealizado pelo Instituto da Mulher Negra (Odara) e foi abraçado por várias instituições. O Julho das Pretas,  é uma agenda comum de intervenção do movimento de mulheres negras da Bahia, que além de discutir a programação de atividades e ações de mulheres negras para o mês de julho se propõe a debater amplamente o perfil, as problemáticas e prioridades das intervenções nos territórios da Bahia.

























Audiência Pública, com o tema: Avanços e Retrocessos nas politicas de Creches em Salvador








Ocorreu nessa última sexta-feira (29), a Audiência Pública, com o tema: Avanços e Retrocessos nas politicas de Creches em Salvador, no Parque São Bartolomeu, que fez parte da programação Julho das Pretas.

Que teve como objetivo refletir sobre os impactos da ausência de equipamentos de creches na vida das mulheres negras e da periferia; ouvir as demandas e necessidades da comunidade em relação às politicas da primeira infância; fazer um levantamento da atual situação das creches em Salvador. 
      
Estiveram presentes os representes das autoridades públicas: Defensoria Pública, Luisa Rocha, Representante do Ministério Público, a psicóloga Luciana França, Presidente da Comissão de Educação, Silvio Humberto e o Presidente do Conselho da Criança e do Adolescente, Hilton Coelho. 

Os representantes do movimento social: Movimento de Mulheres do Subúrbio (Ginga), Edna Pinho, Presidenta do Fórum das Creches Comunitárias, Hamilta Queiroz e a Diretora do Sindicato das Trabalhadoras Domesticas, Milca Martins.

A audiência fez parte da programação Julho das Pretas, que tem como intuito construir uma agenda comum do movimento de mulheres negras para julho, mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher Afro-Latino Americana e Afro-Caribenha, idealizado pelo Instituto da Mulher Negra (Odara) e foi abraçado por várias instituições. O Julho das Pretas,  é uma agenda comum de intervenção do movimento de mulheres negras da Bahia, que além de discutir a programação de atividades e ações de mulheres negras para o mês de julho se propõe a debater amplamente o perfil, as problemáticas e prioridades das intervenções nos territórios da Bahia.

























terça-feira, 26 de julho de 2016

Audiência Publica:Avanços e Retrocessos nas politicas de Creches em Salvador





Está chegando o dia nossa Audiência Publica, com o tema:
Avanços e Retrocessos nas politicas de Creches em Salvador, avaliando e monitorando as politicas de primeira infância nos últimos cinco anos no município, na próxima sexta-feira (29), em São Bartolomeu, às 14:00h

segunda-feira, 6 de junho de 2016

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Reunião da Rede de Mulheres


                                                                       Foto da Reunião

Aconteceu ontem (07), a reunião da Rede de Mulheres, onde foi discutido a Política de Creches do Município de Salvador, sobre o Feminicídio e a Leia de Notificação Compulsória, na sede da SPD.

Alguns encaminhamentos foram tirados, como elaboração de um oficio sobre o balanço atual sobre construção de creches, vagas, investimento e outros aspectos, com base na Lei de Acesso a Informação. Além de consultar o IBGE sobre a quantidade de crianças na faixa etária de 0 a 6 anos na cidade de Salvador. E foi encaminhado também leituras para aprofundamentos sobre a Lei do Feminicídio e a Leia de Notificação Compulsória.
A próxima reunião será realizada dia 20 de Abril, às 14h, local a confirmar.
Estiveram presente as entidades Sociedade Protetora dos Desvalidos, Associação Renascer Mulher, Sindicato das Domésticas, Comissão de Direitos das Mulheres da Câmara Municipal de Vereadores e Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.

quarta-feira, 30 de março de 2016

Repasse da primeira reunião da Rede de Mulheres pelo Controle Social e Políticas Públicas


Ocorreu no dia 09/03, a primeira reunião do ano de 2016, da Rede de Mulheres pelo Controle Social e Políticas Públicas, na sede da Associação Protetora dos Desvalidos (SPD), que teve como objetivo avaliar as atividades realizadas no ano de 2015, discutir formas de implementação das ações do mês de março; analisar planejamento das atividades para o calendário de 2016 e estabelecimento de ações para o fortalecimento da Rede. 

Dentre as ações discutidas a questão das políticas de creches e primeira infância foi motivo de avaliação quando se resolveu fazer uma analise do movimento que ocorreu entre 2012 e 2015 relativo ao problema; outra questão abordada foi a proposta de analisar os  índices do feminicídio e questões relacionadas no mesmo período e por ultimo a Lei da Notificação Compulsória foi reavaliada com base em dados identificadas durante a execução do projeto na Mira da Notificação Compulsória.

Finalizando a reunião foi encaminhado, ações para constituirmos  grupos de trabalho para o fortalecimento e continuidade das ações da Rede de Mulheres pelo Controle Social das Políticas Públicas. Desta forma saímos com as seguintes definições: a nova reunião para o próximo dia 07 de abril, às 14h, na sede da SPD, quando a senhora Josenice Simões deverá trazer um pequeno relato relativo a avanços e desafios da Lei de Notificação Compulsória; Edna Pinho fará a apresentação comparativa da Politica de creches do município de Salvador no período definido acima e Ligia Margarida apresentara estudo sobre o feminicidio no mesmo período.  

Estiveram presentes, a presidenta da SPD e coordenadora administrativa da Associação Renascer Mulher (ASSOREM) Lígia Margarida Gomes; SPD, Ana Flávia, funcionaria da SPD colaboradora de ações para questões sociais; a  representante do núcleo da Rede de Mulheres da Fazenda Coutos, Josenice Simões e a representante da Rede de Mulheres do Subúrbio - Núcleo Ginga Edna Pinho.